logo.gif (3910 bytes)

NATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZA
NATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZA
NATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZANATUREZA

 

MEIO AMBIENTE

Mata Atlântica
Manguezal
Restingas
Animação
Ecossistema
Canais
Home
Como chegar
Nossas Belezas
Hospedagem
Lazer
Turismo
Comércio
Imóveis
Serviços
Diversos
Prefeitura
Cartórios
Cartões Postais
Mapas de rua
O Site
Sobre
E-mail
Créditos

-
                                                             Fonte: Abril S/A Cultural e industrial, SP-1978

 

Crustáceos

Os crustáceos são uma classe do filo dos artrópodes, que são invertebrados com pés articulados. Esta característica distingue os crustáceos dos vermes mais desenvolvidos, os anelídeos, que possuem corpo com estrutura semelhante:

O corpo com simetria bilateral (o lado esquerdo é igual ao direito), dividido em segmentos e com cordão nervoso central. A pele dura da maior parte dos crustáceos é impregnada de cálcio. Esta pele é um  exoesqueleto (esqueleto externo) que precisa ser substituído à medida que o animal cresce.

Os crustáceos diferem dos outros artrópodes pelo número de antenas (dois pares) e pela respiração. Os crustáceos em geral respiram por brânquias localizadas na base das patas, e só podem viver na água ou em ambientes muito úmidos, como o tatuzinho ou bicho-de-conta. 

O sangue é movimentado na cavidade central do corpo por um coração rudimentar. Os músculos são mais diferenciados que nos vermes;    O sistema nervoso, ventral, é dividido em um sistema sensorial e um sistema motor, sendo Os órgãos controlados por um sistema nervoso simpático (involuntário).

Mais de metade das espécies de crustáceos pertence à subclasse dos malacostracos,  que são os crustáceos mais desenvolvidos. O corpo  destes é dividido em 19 segmentos, cada um deles apresentando um par de apêndices:

a cabeça (cinco segmentos) tem dois pares de antenas e três  pares de apêndices para   alimentação (1 mandíbula, 2 maxilas);

o tórax  (oito segmentos) está sempre solidamente ligado à cabeça. Tem três pares de apêndices semelhantes às mandíbulas e cinco pares de apêndices locomotores. Destes, o primeiro pode se transformar em urna pinça, fraca ou forte;

o abdômen  (seis segmentos)l varia em tamanho. Pode ser longo, como na lagosta, ou atrofiado, como no caranguejo. Cada seg­mento possui um par de patas falsas que desempenham papel na reprodução; muitas vezes a fêmea deposita os ovos nesses  apêndices. A reprodução é sexuada e a fertilização, externa. O camarão, por exemplo, deposita o esperma no tórax da fêmea e a fertilização dos ovos pode demorar alguns dias.

Os crustáceos inferiores são quase todos pequenos: variam muito quanto à estrutura e são abundantes no plâncton, que tem papel importante na alimentação dos peixes, Alguns são parasitas de peixes ou de outros crustáceos.

VOLTAR

Copyright  Miranet Internet Provider